Manutenção Preditiva: Será que ela tem sido usada com sabedoria pelas empresas?

imagemPor muitos anos tive a oportunidade de trabalhar numa das maiores empresas do país, prestadora de serviços em manutenção preventiva e corretiva. “Mas a vida é uma caixinha de surpresas” (rsrsrs) e por causa do meu mestrado estive por dois anos fora do mercado me dedicando apenas aos meus estudos. Agora estou de volta e num novo ramo: A Manutenção Preditiva.

Antes de continuar discutindo o que quero expor aqui, vou dar uma breve explicação a respeito das diferenças entre manutenção preventiva, corretiva e preditiva. A preventiva é aquela “revisão” que fazemos no equipamento, que não está apresentando defeito algum, com o intuito de aumentar sua vida útil e evitar quebras em momentos inoportunos. A corretiva é aquela que é feita no equipamento que apresenta algum defeito ou falha de funcionamento, ou seja, é o conserto propriamente dito. E, finalmente, a preditiva é na verdade um “exame clínico” do equipamento que visa encontrar o seu “tendão de Aquiles”; em outras palavras, busca diagnosticar quais dispositivos estão prestes a apresentar defeito e quais são estes possíveis defeitos.

Bom, então vamos continuar no meu raciocínio.

Um dos principais intuitos, se não o principal, da manutenção preditiva é o de encontrar “pontos problemáticos” que, se não sofrerem nenhuma intervenção, podem culminar em uma parada de máquina que, como bem sabemos, é o que menos desejamos numa linha de produção. Máquina parada é sinônimo de perda de dinheiro. Então a idéia é que, sempre que for encontrado um ponto crítico em uma planta, deve ser criado um plano de ação com o objetivo de intervir nessa possível falha evitando seus decorrentes danos e paradas.

Agora, o que me intriga nisso tudo é que, trabalhando nesse ramo, percebi que algumas falhas encontradas por nós e informadas ao cliente são reincidentes nas próximas inspeções!!! Isso mesmo. Algumas empresas contratam a manutenção preditiva, mas acabam não criando nenhuma ação para evitar que os equipamentos que apresentam um grande potencial de falha seja danificado.

Daí eu me pergunto: Por que diacho é que as empresas pagam caro por esse tipo de serviço e não usufruem dele?!

Pois é, conversando com algumas pessoas sobre o assunto, a expressão que melhor encontrei para representar a resposta à minha pergunta é “péssima gestão da manutenção”. Para vocês terem uma idéia, em algumas inspeções, a própria equipe de manutenção da empresa contratante acaba deixando escapar que só estão fazendo a preditiva por causa das benditas auditorias!!! Vocês podem acreditar nisso?! Bela auditoria está sendo feita, não é mesmo? Uma auditoria que não percebe que em todas as preditivas realizadas são sempre os mesmos equipamentos que apresentam falha!!! E que a quantidade desses equipamentos nunca diminuem, pelo contrário, em cada inspeção aumenta a incidência de pontos críticos. Está tudo errado, não está? Ou será que eu é que sou muito “certinha” e estressada?!

Acho que está na hora de mudarmos essa cultura. Pararmos de jogar dinheiro pelo ralo e começar a utilizar com sabedoria e responsabilidade os recursos que nós temos em mãos. O dinheiro desperdiçado com esses absurdos pode ser canalizado em outros investimentos.

Vou encerrar este post deixando-o em aberto. Acho que esse é um assunto a ser discutido. Qual é a sua opinião a respeito desse assunto? Você tem alguma outra resposta à minha pergunta?

Espero os comentários de vocês.😉

Abraços e uma excelente semana para todos.

    • Thomaz (aluno)
    • 19 junho, 2009

    Olá Camila, primeiro parabéns pelo blog, tá muito bom!
    Agora sobre esta matéria em específico, gostaria de expor minha opinião sobre a preditiva, é ótima, pena que a maioria dos diretores de empresas não pensa que se pode economizar futuramente e manter sua produção funcionando por muito mais tempo sem problemas. As vezes até pensam mas não podem gastar ou parar um dia se quer para manter prazos e custos. É tudo muito difícil hoje, tudo é para ontem, tenho oportunidade de acompanhar obras onde é feita uma reforma completa de uma SE em um fim de semana!
    Sempre penso que não podemos é deixar de fazer nossa parte.
    Continue sendo como é!
    Acho que falei demais!
    Abraço, de seu aluno relaxado!

      • camilasoares
      • 19 junho, 2009

      Oi Thomaz.
      Que honra te ver por aqui!!!😀
      Muito obrigada pelo elogio ao blog… me esforço para colocar um conteúdo de qualidade para vocês.
      Muito bem colocado o seu ponto de vista. Não havia analisado por esse ângulo.
      Realmente hoje a pressão e cobrança com relação a uma maior produção em um menor tempo é imensa. Uma parada de máquina para a realização de uma manutenção é o fim em muitos casos!!!
      Agora, vamos combinar: um final de semana para reformar uma subestação inteira!!! Meu Deus!!!
      É, realmente o seu comentário foi muito pertinente. E, olha, você não falou demais não, viu… rsrs…😉
      Um abração enorme pra você, e espero que você me visite mais vezes…

    • Vermeio
    • 19 junho, 2009

    Oi Camila.
    Na empresa q trabalho já existe a algum tempo a manutenção preditiva na area mecanica e ela esta muito bem encaminhada e infelizmente a preditiva eletrica esta começando com força total só agora. Mais antes tarde do que nunca né. Ela demorou pra começar mais esta começando de uma maneira muito legal, com medições termograficas em toda a parte eletrica e um trabalho de medições de isolamento com motores q apesar do pouco tempo já estamos encontrando alguns problemas que estão sendo sanados antes q acasionem problemas graves.
    Estou fazendo a reforma de toda a parte eletrica de um centro de usinagem a alguns meses e esta sendo colidos dados de toda a parte eletrica para analises futuras quando o equipamento estiver funcionando.
    Pra terminar operar uma camera termografica é muito legal, as imagens que se consegue capitar com ela são extraordinarias.
    O seu blog continua cada vez melhor.
    Abraços

      • camilasoares
      • 19 junho, 2009

      Oi Carlos…
      Ah, concordo com você… antes tarde do que nunca. O importante é começar.
      E olha que interessante o que você falou: já foi perceptível as mudanças que as preditivas elétricas trouxeram à manutenção. Muito legal!!!
      Realmente algumas técnicas preditivas consistem na comparação de dados colhidos anteriormente com os atuais. Principalmente técnicas de análise de motores elétricos utilizam essa metodologia. Qualquer alteração no comportamento apresentado nos testes pode indicar uma possível falha. É muito bacana esse tipo de análise.
      Quanto à termografia, ela é simplesmente fascinante, não é? Sem contar com a eficácia dela.
      Uma técnica bastante legal também que pode até encontrar pontos de mau contato mesmo antes da apresentação de aquecimento é a técnica de ultrasson que detecta efeito corona. Essa é outra alternativa preditiva bastante interessante.
      Bom, Vermeio, é isso…
      Mais uma vez muito obrigada pela sua assiduidade… acho que você é um dos meus leitores mais fiéis… rsrsrs
      Um abração enorme e um excelente final de semana pra você.

    • Everton Podenciano
    • 20 junho, 2009

    Olá Camila,

    Acho que posso dizer que na empresa que trabalho existe uma certa ponderação em relação à manutenção preditiva, pois vejo que aqui são utilizados recursos de análise vibracional, termografia, análise da oxidação das caldeiras e tubulações, análise ultra-som dos vasos de transporte pneumáticos, entre outros, o que é feito após o laudo técnico é identificado os pontos críticos do equipamento e caso seja inviável pará-lo para manutenção imediata é definido um plano de ação para programar essa parada para manutenção, ou agendar um dia menos produtivo para que o equipamento seja submetido à correção do problema.

    As empresas hoje visam muito o ‘tempo perdido’ para submeter algum equipamento para manutenção, o que falta é um prospecto do custo que levaria corrigir o problema depois de piorado por decorrência da falta de manutenção no ponto crítico identificado.

    Creio que como você comentou,a maior culpa dessa falha é a falta de gerenciamento pró-ativo no setor de manutenção.

      • camilasoares
      • 20 junho, 2009

      Oi Ev… Meu irmão e amigo querido!!! Que honra vê-lo por aqui!!!😀
      Pois é… então concordamos neste ponto. Com certeza um departamento de manutenção bem administrado e organizado conseguiria conciliar amigavelmente a dupla custo de parada X produção.
      Acho que a chave de tudo está na eficiencia da gestão.
      Muito obrigada pela sua visita e comentário.
      Espero te ver por aqui mais vezes, hem.
      Um abração enorme….

    • Willians Dutra
    • 21 junho, 2009

    Olá.
    Primeiramente quero dar os parabéns pelo trabalho realizado. Estou descobrindo o site hoje e já estou adorando.
    Sei que o post já é um pouco antigo, mas ele é muito familiar para mim ( infelizmente ).
    Não trabalho com manutenção, mas uma das minhas funções é organizar a manutenção preventiva e corretiva do laboratório em que trabalho, e realmente você tem razão quando diz que o pensamento dominante no nosso país é realizar manutenções e calibrações de processos/equipamentos apenas para obter o papel e mostrar para o auditor.
    Gostaria muito que fosse diferente. Nosso país ganharia muito mais.
    Abraço.

      • camilasoares
      • 27 junho, 2009

      Olá Willians…
      Fico lisongeada por você ter gostado do Engenheirando.🙂
      Realmente é lamentável essa cultura predominante em nosso país. Mas não vamos perder a esperança!!! Vamos continuar fazendo nossa parte para que isso um dia mude.
      Abração e espero te ver outras vezes por aqui.😉

    • Jackson Durte
    • 30 julho, 2009

    Olá Camila,

    Primeiramente eu quero dar meus parabens para o site, pois hoje fui promovito para técnico de inspeção preditiva elétrica,espero poder contar com essa troca de ideia,

    Um abraço

      • camilasoares
      • 1 agosto, 2009

      Olá Jackson.
      Obrigada pelos parábens.
      Parabéns a você também pela promoção!!!
      Será maravilhoso trocarmos experiências.😉
      Abração e uma ótima semana para você.

    • Jônatas Ricardo
    • 12 agosto, 2009

    Olá Camila.
    Você tem razão no seu ponto de vista.
    São poucas empresas que realmente usufruem da preditiva. No meu caso, presto serviços a Usina de Açucar, Álcool e Energia em que o lema é produzir. Então deixam até mesmo o equipamento apresentar falha para efetuar manutenção para não parar a produção.
    Geralmente as Usinas param para manutenção em ocasião de chuvas, pois com as chuvas não é possível transportar a matéria prima até a indústria, pois como a cana vem da roça, e as chuvas provocam um lamaçal danado, os caminhões de transporte ficam impossibilitados de trafegar por terra, e assim eles aproveitam para efetuar as correções.
    Acho totalmente errado, mas é assim que o setor sucroalcooleiro age.

    Abraços.

      • camilasoares
      • 16 agosto, 2009

      Oi Jônatas.
      Também presto serviços para usinas e sei bem como elas são “terríveis”… rsrsrsrs
      Vamos sonhar com o dia em que nossos clientes não esperarão o equipamento arrebentar pra dai pensar em manutenção.🙂
      Amei sua visita e comentário!!! Espero te ver por aqui mais vezes.
      Abração.

    • Marcos luiz da silva
    • 12 setembro, 2009

    oláCamila. parabens pelo trabalho realizado,sou aluno da faculdade de tecnologia em fabricação automobilistica e de fabricação mecânica Senai Luiz adear scheuer juiz de Fora MG. estou fazendo o meu tcc, sobre a importancia da analise e viração em motores eletricos que é um técnica de manutenção preditiva. estou pesquisando arquivossobre este tipo de manutenção. Obrigado!

      • camilasoares
      • 20 setembro, 2009

      Oi Marcos…
      Obrigada pelos parabéns.😀
      Na empresa em que trabalho, fazemos este tipo de análise. Vou verificar se consigo algum material para você.
      Abraços.

    • Jonas Jr.
    • 24 setembro, 2009

    Oi Camila!

    Trabalho também com Manutenção Preditiva (Análise de Vibração) e vejo pelo seu blog que há mais gente trabalhando com preiditiva do que eu pensava.

    Parabéns pela matéria. É uma questão de cultura aproveitarem a Manutenção Preditiva. Acredito que na próxima década isso mudará muito.

    Abçs.

    • Renata
    • 3 fevereiro, 2010

    Olá, Camila!Não entendo muito dessa área, mas peguei um projeto na faculdade sobre frota própria que também envolve manutenção.
    Achei bem exlicativo o seu comentário!
    Teria algum tipo de material relacionado a isso?
    Obrigada e parabéns!

  1. Parabéns pelo artigo. Na minha opinião está bastante interessante. Passe por http://www.iteag.net e consulte. Pode encontrar informação bastante completa sobre termografia e outras técnicas utilizadas em manutenção.

    • DCarlos
    • 23 agosto, 2010

    Olá Camila gostei do seu ponto de vista postado, trabalho na coleta de vibração há pouco tempo, e estou tentando a analisar, gostaria de aproveitar e saber se há alguma proposta nesta área a que executo para fazer um Tcc, qualquer idéia que tenha favor me passar.
    Gostei muito do Engenheirando,
    Parabéns.

  2. TERMOGRAFIA – Infraterm

    Serviços de termografia em sistemas elétricos.

    http://www.infraterm.com.br

    Fone (11) 3255-4441 – São Paulo-SP

    e-mail infraterm@infraterm.com.br

    SOLUÇÕES TERMOGRÁFICAS

    • Identificamos falhas
    • Examinamos desempenho
    • Localizamos defeitos
    • Indicamos soluções
    • Proporcionamos Economia

    • SISTEMAS ELÉTRICOS
    Detecção de falhas devido a mal contatos, oxidação,
    cortes nas conexões e cabos ou falhas em quadros elétricos.
    Detecção de mal funcionamento de componentes,
    fases mal balanceadas e dimensionamento de componentes.
    Verificação do fator de potência.

    • SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO ELÉTRICA DE ALTA VOLTAGEM
    Falhas nas linhas de transmissão aéreas, subestações,
    transformadores, interruptores, fusíveis e motores.

    • ISOLADORES TÉRMICOS E ENCANAMENTOS
    Defeitos no isolamento térmico em plantas de armazenamento,
    chaminés, caldeiras e fornos.
    Vazamentos em encanamentos aterrados ou expostos, contendo
    substâncias diversas, incluindo óleo, substâncias químicas,
    água ou vapor.
    Vazamentos de gás e vapor nas válvulas.

    • SISTEMAS MECÂNICOS
    Exame de performance de sistemas mecânicos rotativos
    durante a operação, como por exemplo em motores elétricos,
    mancais ou polias.
    Localiza desgastes desnecessários nas partes giratórias e permite
    lubrificação adequada nas partes com maior fricção, evitando e
    prevenindo rupturas em polias e outras partes dos equipamentos.

     

    • marcelo
    • 19 março, 2011

    Ola Camila
    gostei do seu blog
    preciso de uma ajuda tenho que montar um plano de ação de manutenção preventiva pode me ajudar.

    • marcelo
    • 19 março, 2011

    Ola preciso de montar um plano ação de manutenção preventiva já tenho todo o check list dos equipamentos só falta montar a ação quem pode me ajudar agradeço desde já.

  3. TERMOGRAFIA – TERMOGRAFIA ELÉTRICA
    INFRATERM é uma empresa de engenharia e consultoria especializada em atender às necessidades de manutenção e prevenção de instalações complexas. Sua equipe técnica utiliza a mais alta tecnologia disponível no mundo: testes não destrutivos através de raios infravermelhos, entre outros
    entre em contato com a nossa empresa :
    Telefone: 11 3255.4441
    Email: infraterm@infraterm.com.br

    • adilson carlos viana
    • 2 março, 2012

    lega gostei muito do artigo sobre proteção para placas eletronicas ,e ajudou bastante na minha area de trabalho ja que sou eletrista de manutenção

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: